CFP

Clube Filatélico de Portugal

Flâmulas Obliterativas datadas * Mais uma originalidade da marcofilia de Moçambique PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Altino da Silva Pinto   
Quarta, 14 Outubro 2009 10:05

 

Flâmulas Obliterativas datadas

Mais uma originalidade da marcofilia de Moçambique

                                                                                                                                                            Altino Pinto
Altino da Silva Pinto

 

 

È conhecido que da Marcofilia de todas as ex – Colónias Portuguesas, Moçambique é a Colónia que apresenta maior quantidade e diversidade de marcas postais, desde carimbos obliterativos até marcas com indicações postais as mais variadas, sendo até pioneira em alguns aspectos da marcofilia das ex – Colónias Portuguesas.

Do ponto de vista filatélico, considera-se como flâmula, uma marca, oficial, aplicada pelos Correios, com dizeres (“slogans”) de vária natureza – por ex: informativos, promocionais ou políticos – e que habitualmente é uma marca não obliterativa.

Um dos aspectos pouco conhecidos, na Marcofilia de Moçambique, é a utilização, especificamente em Lourenço Marques, de flâmulas obliterativas datadas, aplicadas por intermédio de máquina (s)?) especifica, e que, apesar de ser um carimbo mecânico, poderá ser considerado, precursor das futuras máquinas de franquiar.

Lembro que, em Lourenço Marques, esta prática remonta aos anos de 1927 (!), sabendo-se que a introdução das máquinas de franquiar apenas viria a acontecer mais de 35 anos depois. È por isso uma originalidade…

                Sobre este tema existem escassos artigos publicados, o ultimo dos quais, que eu conheça, já o foi há mais de 20 anos. Sei também como é quase inexistente a documentação susceptível de ser consultada, sobre a introdução de carimbos e outras marcas, pelos Correios de Moçambique. Assim, as considerações e a catalogação que apresento, resultam da observação directa de peças filatélicas, quer da minha colecção quer de outros coleccionadores.

Tipo 1 
Tipo 1
 

Genericamente, trata-se de um carimbo composto de 2 secções distintas, mutáveis, e separadas 11 mm uma da outra. Um circulo, onde se insere a data, e um rectângulo, onde se inscrevem os dizeres.

O círculo tem 22 mm de diâmetro. No seu interior, inscreve-se em cima e em semicírculo “ LOURENÇO MARQUES “ e em baixo, igualmente em semicírculo “ MOÇAMBIQUE “. O grupo datador, no centro, distribui-se por 3 linhas paralelas. Na linha superior; dia e mês em abreviatura de 3 letras; na linha do meio, o ano completo (4 dígitos) e na linha inferior; a hora.

A secção rectangular, tem genericamente duas partes. Um rectângulo de 34 X 20 mm, onde se inscrevem os dizeres da flâmula e 7 traços paralelos de 20 mm de comprimento, equidistantes 3 mm uns dos outros, e que como que prolongam o rectângulo, para a direita. O conjunto total tem pois 54 mm por 20 mm

Além obviamente, de diferentes dizeres na parte das flâmulas, o que determina os diferentes Tipos de carimbo, nesta ultima secção existe uma excepção, pois um dos Tipos não tem quaisquer dizeres, mas sim um conjunto de 6 traços ondulados, que todavia se confinam nas dimensões referidas.

tipo3 
 Tipo 3
 

Já em 1927, e apenas na estação de Lourenço Marques, foram introduzidos estes carimbos mecânicos, com flâmulas de propaganda, obliterando os selos aplicados nos objectos postais. Presumo que terá sido utilizada uma só máquina, que aplicou, as sucessivas legendas. Todavia, pelo que me foi dado observar, no mesmo ano, foram utilizadas legendas diferentes, por substituição da secção respectiva. Resultam desta possibilidade de substituição dos componentes, variedades interessantes, nomeadamente, a inversão de uma secção em relação à outra, como adiante referirei.

Tanto quanto me foi dado observar, estes carimbos estiveram em uso até princípios dos anos 40, tendo deixado de serem usados por “ danificarem os sobrescritos finos” como, à época, foi referido num Jornal local. Penso porem que a sua retirada de circulação terá sido devida, não só a estes motivos, mas também a deficit financeiro e à falta de suporte legal para o seu uso. Mas são apenas suposições.

Certo é que a autorização do uso e exploração das máquinas de franquiar nas ” Províncias Ultramarinas Portuguesas” foi instituído pelo Dec. 34.076 de Novembro de 1944, mas apenas regulamentado pelo Decreto nº. 41538 de Fevereiro de 1958, e em Moçambique o seu uso regular apenas se iniciou em 1963.

Dada a dimensão do carimbo, bem assim como as suas particularidades, para a catalogação e ordenamento cronológico é fundamental observá-los, em fragmentos ou em peças completas. Embora as peças com estes carimbos não sejam raras, há todavia, no que se refere à sua escassez, diferenças acentuadas entre os diversos Tipos.

Tentarei classificá-los cronologicamente. Assim:

TIPO 1

“ VIA RADIO DIRECTA / PARA PORTUGAL /  È A MAIS RÀPIDA”.

Conheço desde Março de 1927 até Maio de 1939. (FIG 1 )

fig1 

 

TIPO 2

 “PROTEJA E FINANCIE /  A AGRICULTURA  / DA PROVINCIA”

Conheço em (27) Maio e Junho de 1927. (FIG 2 )

fig2 

 

TIPO 3

 “ USE A VIA /  “ RADIO” / NA PROVINCIA “

Conheço desde Junho de 1927 a 28 Set. 1928. (FIG 3 ). É dos menos frequentes.

fig3 

 

TIPO 4

 “ RECENSEAMENTO DA POPULAÇÃO”

Maio de 1928. Esta Flâmula nunca a vi em peça nem sequer completa. Apenas incompleta e em selo solto. (FIG 4 )

fig4

 

TIPO 5

 “ DEPOSITE NA / CAIXA / ECONOMICA POSTAL “

Conheço de Julho de 1929 até 1941. Conheço a variedade em que o círculo da data está invertido. (FIG 5 ). È a mais frequente.

fig5 

 

TIPO 6

 “ AUXILIE AS / INDUSTRIAS DA / PROVINCIA”

Conheço desde Novembro de 1929 até Abril de 1930. (FIG 6)

fig6 

 

TIPO 7

 “ O SISTEMA / DO CHEQUE / É O MELHOR”.

Conheço entre Abril e Dezembro de 1930. (FIG 7). É também dos menos frequentes.

fig7 

 

TIPO 8

Toda a legenda de propaganda foi substituída por 6 traços ondulados paralelos. Conheço-os datados de Outubro de 1930 a Julho de 1938. Existem duas Variedades que designarei por A e B, (consoante a ondulação começa em cima ou em baixo e que resultou da referida substituição e recolocação das partes que constituem o carimbo)

A – Linhas onduladas ascendentes (FIG 8)

fig8 
 

B – Linhas onduladas descendentes (FIG 9)

fig8b 
 

Estes são as flâmulas obliterativas datadas de que tenho conhecimento e tive ocasião de observar. Não posso excluir que haja outra (s), mas sem dúvida que, a haver, serão muito raras.

No sentido de completar, e eventualmente corrigir, os dados agora apresentados, nomeadamente no referente às datas de utilização, agradeço antecipadamente todas as correcções e informações que me queiram enviar, e obviamente fico ao dispor para prestar quaisquer esclarecimentos complementares.

 

Lisboa, Janeiro de 2006

 

 

Bibliografia:

 

1.        Revista “ Portu – Info “ – Vol. 20. 1985, pgs 64 e 65 artigo da autoria de Hal Reynolds;  

2.       Revista “ Selos e Moedas “ – Falando de Carimbos – pgs 43 e 44, artigo da autoria de Jorge Fernandes.

 

Actualizado em Quarta, 14 Outubro 2009 10:25
 

Procura

 
Joomla 1.5 Templates by Joomlashack