Censura Militar no Arquipélago dos Açores durante a 2.ª Guerra Mundial (II) * Ilha do Faial Versão para impressão
Escrito por Joaquim Sousa Lobo   
Quarta, 23 Setembro 2009 18:43

 

Censura Militar no Arquipélago dos Açores durante a 2.ª Guerra Mundial (II)

Ilha do Faial

                                                                                                                                                            Lobo

 Joaquim Sousa Lobo

Desenhos de Eduardo Silva

 

Segundo o relatório dos Serviços de Censura Militar, os Serviços de Censura Militar, Postal e Telegráfica do Comando Militar do Faial, tiveram início em 5 de Abril de 42 funcionando no edifício dos C.T.T. da Horta. Como no caso já tratado da Madeira, foi a censura dividida em dois ramos:

 

1.       - censura à correspondência do pessoal militar

2.       - censura à correspondência civil

 

A correspondência do pessoal militar era censurada nas Unidades Militares e enviada, posteriormente, ao Director do Serviço de Censura para a fazer entregar nos C.T.T., não transitando pelos Serviços de Censura dos Correios.

Como era norma, na correspondência censurada era aposta uma marca, com a indicação de que o serviço de censura já tinha sido realizado. Para tal, foram criados e utilizado os mais diversos carimbos pois, cada unidade podia produzir as suas próprias marcas.

Tinham porém, todas em comum o facto de possuírem a indicação da unidade e a palavra CENSURADO, o que nos leva a supor serem as únicas directivas para a feitura dos carimbos.

Só conheço uma diferente – em vez de CENSURADO diz CENSURADA. Trata-se da usada na 2ª Companhia Expedicionária do R. E. I., que se pode ver adiante.

Dou a seguir a lista e a reprodução dos carimbos que possuo, com a indicação das cores em que aparecem batidos.

f1              f2            f3
fig. 1) a violeta – 45x27 mm                              (fig. 2) a azul – 40x27 mm                            (fig. 3 ) a preto – 45 x 13 mm
                                                                                                                                                                    G.A.C.A. 1- Tipo 1 – 4ª Bataria Expª A.A.
 
f4                             f5
          (fig. 4)  TIPO 2 - a violeta – 53x12 mm                              (fig. 5)  TIPO 3 - a violeta – 53x18 mm
      
 f6                                   f7
                  (fig. 6 ) a preto – 72 x 11 mm                                                                  (fig. 7) a violeta – 34x12 mm
                            1ª Bataria Expª do Regimento de Artilharia Pesada nº 2

 

fi8          fi9          fi10
(fig. 8) a azul – 46x23 mm                     (fig. 9) a violeta – 40x23 mm                       Hospital Militar do Faial
                                                                                                                             (fig. 10) a azul – 35 x 15 mm

 

       fi11               f12             f13    
(fig. 11)  TIPO 1 - a vermelho – 47x15,5 mm           (fig. 12)  TIPO 2 - a vermelho – 47,5x17 mm              (fig. 13) - a azul – 32x13 mm
 
 f14                         f15
(fig. 14)  TIPO 1 - a preto – 47x27 mm                                       (fig. 15) TIPO 2 - a vermelho – 49x25mm
 
f16                f17
                                                       (fig. 16) -  B. I. 20 - a preto – 90x12mm                                                (fig. 17) - a vermelho – 33x33mm

 

f18                               f19
                                                          (fig. 18) - a azul – 47x23mm                                         (fig. 19) - a violeta – 32x15mm

 

A censura à correspondência civil foi exercida no edifício dos CTT da Horta, como já dissemos, tendo sido director dos Serviços de Censura Militar, o major Alfredo Braga.

No exercício da censura, e para marcar as correspondências do pessoal civil, foram utilizados os mais variados carimbos e, também, as mais variadas cintas de papel para fechar os sobrescritos e outros.

Desses carimbos e cintas de papel, usados na Ilha do Faial, dou a seguir indicação dos que possuo, bem assim das cores em que ocorrem. Comecemos pelas

 

Cintas

 

f20
(fig. 20) - Cinta Tipo FAIAL 1 - papel bistre timbre a preto – 106x17mm
 
 
f21
(fig. 21) - Cinta Tipo FAIAL 2 - idêntica a anterior sem FAIAL – 107x7mm
 
 fi22
(fig. 22) - Cinta Tipo FAIAL 3 - papel bistre timbre a vermelho – 69x17mm
 
fi23
(fig. 23) - Cinta Tipo FAIAL 4 - papel rosa timbre a preto – 71x11mm
 
f24
(fig. 24) - Cinta Tipo FAIAL 4 a - idêntica á anterior mas em papel branco
 
fi25
(fig. 25) - Tipo FAIAL 5 - cinta de Lisboa em papel bistre, timbre a vermelho, sobrecarga FAIAL a violeta - 71x11mm

 

Carimbos de Censura

                Nos carimbos apresentados a seguir, as siglas C.M.F. e C.M.P.T., têm o mesmo significado:

                    1.       C. M. F. – Comando Militar do Faial

                    2.       C. M. P. T. – Censura Militar Postal Telegráfica

fi26                          f27
          (fig. 26) - Tipo FAIAL 1 - a preto – 34x12mm  (fig. 27) – Tipo FAIAL 4 - a preto – diam. 32 mm
                                                                                                                                        (Possuo os números 1 - 3  – 5 – 6 - 7)

 

f28                                                f29
(fig. 28) – Tipo FAIAL 4 a - azul –  diam. 31mm                            (fig. 29) – Tipo FAIAL 5  - a preto –  diam. 29mm
                                     (Possuo os números 1 –  9)

 

f30               f31
      (fig. 30) – Tipo FAIAL 6 - a violeta – diam. 29 mm                            (fig. 31) – Tipo FAIAL 6 a - azul – diam. 29mm
                  (Possuo os números 13 – 14 – 18)                                                                      (Possuo os números 13 – 18)

 

 

Isenção de Censura

 

fi32
(fig. 32) - Carimbo de isenção de Censura - a violeta – 97x18 mm

 

Actualizado em Quinta, 24 Setembro 2009 22:51